Reze
Conosco

Acompanhe a Liturgia Diária e faça seu Pedido de Oração.

Dezembro, 2019

Liturgia
Diária

Dia 12 – QUINTA-FEIRA
N. SENHORA DE GUADALUPE
PADROEIRA DA AMÉRICA LATINA
(branco, glória, pref. de Maria, pág. ?? – ofício da festa)
Alegremo-nos todos no Senhor, celebrando a festa de Nossa Senhora de Guadalupe; conosco alegram-se os anjos e glorificam o Filho de Deus.
Mãe do Senhor e de toda a humanidade, Maria, sob o título de Guadalupe, manifesta-se em nosso continente como protetora dos pequenos e defensora dos oprimidos. Sua imagem apareceu impressa no manto do índio são João Diego em 1531, período de grande opressão espanhola no México. A Virgem de Guadalupe interceda junto a Jesus por seus filhos e filhas latino-americanos.

Primeira Leitura: Gálatas 4,4-7

Leitura da carta de são Paulo aos Gálatas – Irmãos, 4quando se completou o tempo previsto, Deus enviou o seu Filho, nascido de uma mulher, nascido sujeito à lei, 5a fim de resgatar os que eram sujeitos à lei e para que todos recebêssemos a filiação adotiva. 6E porque sois filhos, Deus enviou aos nossos corações o Espírito do seu Filho, que clama: Abá – ó Pai! 7Assim já não és mais escravo, mas filho; e se és filho, és também herdeiro, tudo isso por graça de Deus. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 95(96)

Manifestai a sua glória entre as nações.
1. Cantai ao Senhor Deus um canto novo, † cantai ao Senhor Deus, ó terra inteira! / Cantai e bendizei seu santo nome! – R.
2. Dia após dia anunciai sua salvação, † manifestai a sua glória entre as nações / e, entre os povos do universo, seus prodígios! – R.
3. Publicai entre as nações: “Reina o Senhor! † Ele firmou o universo inabalável, / e os povos ele julga com justiça”. – R.

Evangelho: Lucas 1,39-47

Aleluia, aleluia, aleluia.
Maria, alegra-te, ó cheia de graça, o Senhor é contigo; / és bendita entre todas as mulheres da terra! (Lc 1,28) – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – 39Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judeia. 40Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. 41Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. 42Com um grande grito, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! 43Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? 44Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. 45Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”. 46Então Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, 47e o meu espírito se alegra em Deus, meu salvador”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

A partir de sólida tradição, a imagem de Nossa Senhora de Guadalupe aparece estampada no manto do índio João Diego, em 1531, na cidade do México. O culto à Virgem de Guadalupe propagou-se rapidamente e favoreceu a divulgação da fé cristã entre os indígenas. Construído ao pé da colina de Tepeyac, lugar das aparições, o atual santuário foi concluído em 1709 e elevado à categoria de basílica pelo Papa Pio X, em 1904. Este mesmo Papa, em 1910, conferiu à Virgem de Guadalupe o título de Padroeira da América Latina. João Diego foi canonizado pelo Papa São João Paulo II, em 2002. Maria de Guadalupe é, acima de tudo, sinal de opção profunda pelos pobres e marginalizados. De fato, seu diálogo começa com um indígena e se irradia a partir das margens da cidade, entre as pessoas simples e abandonadas.

(Dia a dia com o Evangelho 2019 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)

Fonte: Paulus