Reze
Conosco

Acompanhe a Liturgia Diária e faça seu Pedido de Oração.

Agosto

Liturgia
Diária

14 – SÁBADO
SÃO MAXIMILIANO MARIA KOLBE

PRESBÍTERO E MÁRTIR

(vermelho, pref. comum ou dos mártires, – ofício da memória)

Vinde, benditos de meu Pai, diz o Senhor. Em verdade vos digo, tudo o que fizestes ao menor dos meus irmãos, foi a mim que o fizestes (Mt 25,34.40).

Maximiliano nasceu na Polônia em 1894 e lá faleceu em 1941. Entrou para a Ordem dos Franciscanos Conventuais e, em 1918, foi ordenado presbítero. O apostolado da imprensa era o seu carisma. Por zelo e amor a Nossa Senhora, fundou o apostolado mariano “Milícia da Imaculada”. Prisioneiro em campo de concentração, ofereceu sua vida de sacerdote em troca da vida de um pai de família.

Primeira Leitura: Josué 24,14-29

Leitura do livro de Josué – Naqueles dias, Josué disse a todo o povo: 14“Agora, pois, temei ao Senhor e servi-o com um coração íntegro e sincero, e lançai fora os deuses a quem vossos pais serviram na Mesopotâmia e no Egito, e servi ao Senhor. 15Contudo, se vos parece mal servir ao Senhor, escolhei hoje a quem quereis servir: se aos deuses a quem vossos pais serviram na Mesopotâmia ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais. Quanto a mim e à minha família, nós serviremos ao Senhor”. 16E o povo respondeu, dizendo: “Longe de nós abandonarmos o Senhor para servir a deuses estranhos. 17Porque o Senhor, nosso Deus, ele mesmo é quem nos tirou, a nós e a nossos pais, da terra do Egito, da casa da escravidão. Foi ele quem realizou esses grandes prodígios diante de nossos olhos e nos guardou por todos os caminhos por onde peregrinamos, e no meio de todos os povos pelos quais passamos. 18O Senhor expulsou diante de nós todas as nações, especialmente os amorreus, que habitavam a terra em que entramos. Portanto, nós também serviremos ao Senhor, porque ele é o nosso Deus”. 19Então Josué disse ao povo: “Não podeis servir ao Senhor, pois ele é um Deus santo, um Deus ciumento, que não suportará vossas transgressões e pecados. 20Se abandonardes o Senhor e servirdes a deuses estranhos, ele se voltará contra vós, e vos tratará mal e vos aniquilará, depois de vos ter tratado bem”. 21O povo, porém, respondeu a Josué: “Não! É ao Senhor que serviremos”. 22Josué então disse ao povo: “Sois testemunhas contra vós mesmos de que escolhestes o Senhor para servi-lo”. E eles responderam: “Sim! Somos testemunhas!” 23“Sendo assim”, disse Josué, “tirai do meio de vós os deuses estranhos e inclinai os vossos corações para o Senhor, Deus de Israel”. 24O povo disse a Josué: “Serviremos ao Senhor, nosso Deus, e seremos obedientes aos seus preceitos”. 25Naquele dia, Josué estabeleceu uma aliança com o povo e lhes propôs preceitos e leis em Siquém. 26Josué escreveu essas palavras no livro da Lei de Deus. A seguir, tomou uma grande pedra e levantou-a ali, debaixo do carvalho que havia no santuário do Senhor. 27Então Josué disse a todo o povo: “Esta pedra que estais vendo servirá de testemunha contra vós, pois ela ouviu todas as palavras que o Senhor vos disse, para que depois não possais renegar o Senhor, vosso Deus”. 28Em seguida, Josué despediu o povo, para que fosse cada um para suas terras. 29Depois desses acontecimentos, morreu Josué, filho de Nun, servo do Senhor, com a idade de cento e dez anos. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 15(16)

O Senhor é a porção da minha herança!

1. Guardai-me, ó Deus, porque em vós me refugio! / Digo ao Senhor: “Somente vós sois meu Senhor. / Ó Senhor, sois minha herança e minha taça, / meu destino está seguro em vossas mãos! – R.

2. Eu bendigo o Senhor, que me aconselha / e até de noite me adverte o coração. / Tenho sempre o Senhor ante meus olhos, / pois, se o tenho a meu lado, não vacilo. – R.

3. Vós me ensinais vosso caminho para a vida; † junto a vós, felicidade sem limites, / delícia eterna e alegria ao vosso lado! – R.

Evangelho: Mateus 19,13-15

Aleluia, aleluia, aleluia.

Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, / pois revelaste os mistérios do teu Reino aos pequeninos, / escondendo-os aos doutores! (Mt 11,25) – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, 13levaram crianças a Jesus, para que impusesse as mãos sobre elas e fizesse uma oração. Os discípulos, porém, as repreendiam. 14Então Jesus disse: “Deixai as crianças e não as proibais de virem a mim, porque delas é o Reino dos céus”. 15E depois de impor as mãos sobre elas, Jesus partiu dali. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Em certas ocasiões, Jesus ensina de modo incisivo e convincente, mais por meio de gestos do que proferindo palavras. Estas vêm apenas completar a mensagem. Uma criança normalmente chama a atenção dos adultos: pela simplicidade, reações imprevisíveis, pureza de coração, liberdade para expressar o que sente e total confiança com que se joga nos braços do pai e da mãe. Os discípulos, por não compreenderem a missão de Jesus, tentam afastar dele as crianças que lhe são apresentadas. Diversamente dos discípulos, Jesus as acolhe e as propõe como modelos para seus seguidores. Do mesmo modo como acolhe as crianças, Jesus admite e ama com predileção os marginalizados e excluídos da convivência humana. A Igreja e a assembleia litúrgica não podem excluir ninguém, pois Jesus veio para todos.

Oração
Ó amável Jesus, as crianças se sentem bem ao teu redor, e tu as valorizas e indicas como modelos para todos nós, “porque delas é o Reino dos céus”. Dá-nos, Senhor, a simplicidade das crianças e um coração aberto para acolher a tua mensagem de amor e as exigências do Reino. Amém.

(Dia a dia com o Evangelho 2021 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp e Pe. Nilo Luza, ssp)

 

****

 

14 – SÁBADO
ASSUNÇÃO DE NOSSA SENHORA

(branco, glória, creio, prefácio próprio – ofício da solenidade)

Todas as nações cantam as vossas glórias, ó Maria: hoje fostes exaltada acima dos anjos e triunfais com Cristo para sempre.

Nesta vigília da solenidade da Assunção, queremos dar graças ao Pai, que transformou Maria em sacrário vivo para o próprio Filho. Elevada ao céu, a Mãe aponta para a vitória da humanidade redimida, glória que alcançaremos ao acolher e viver a Palavra de Deus.

Primeira Leitura: 1 Crônicas 15,3-4.15-16; 16,1-2

Leitura do primeiro livro das Crônicas – Naqueles dias, 3Davi convocou todo Israel em Jerusalém, a fim de transportar a arca do Senhor para o lugar que lhe havia preparado. 4Davi reuniu também os filhos de Aarão e os levitas. 15Os filhos de Levi levaram a arca de Deus com os varais sobre os ombros, como Moisés havia mandado, de acordo com a ordem do Senhor. 16Davi ordenou aos chefes dos levitas que designassem seus irmãos como cantores, para entoarem cânticos festivos, acompanhados de instrumentos musicais, harpas, cítaras e címbalos. 16,1Tendo, pois, introduzido a arca de Deus e colocado no meio da tenda que Davi tinha armado, ofereceram, na presença de Deus, holocaustos e sacrifícios pacíficos. 2Depois de oferecer os holocaustos e os sacrifícios pacíficos, Davi abençoou o povo em nome do Senhor. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 131(132)

Subi, Senhor, para o lugar de vosso pouso, / subi com vossa arca poderosa!

1. Nós soubemos que a arca estava em Éfrata / e nos campos de Iaar a encontramos: / entremos no lugar em que ele habita, / ante o escabelo de seus pés o adoremos! – R.

2. Que se vistam de alegria os vossos santos, / e os vossos sacerdotes, de justiça! / Por causa de Davi, o vosso servo, / não afasteis do vosso ungido a vossa face! – R.

3. Pois o Senhor quis para si Jerusalém / e a desejou para que fosse sua morada: / “Eis o lugar do meu repouso para sempre, / eu fico aqui: este é o lugar que preferi!” – R.

Segunda Leitura: 1 Coríntios 15,54-57

Leitura da primeira carta de São Paulo aos Coríntios – Irmãos, 54quando este ser corruptível estiver vestido de incorruptibilidade e este ser mortal estiver vestido de imortalidade, então estará cumprida a palavra da Escritura: “A morte foi tragada pela vitória. 55Ó morte, onde está a tua vitória? Onde está o teu aguilhão?” 56O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a Lei. 57Graças sejam dadas a Deus, que nos dá a vitória pelo Senhor nosso, Jesus Cristo. – Palavra do Senhor.

Evangelho: Lucas 11,27-28

Aleluia, aleluia, aleluia.

Felizes aqueles que ouvem / a Palavra de Deus e a guardam! (Lc 11,28) – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – Naquele tempo, 27enquanto Jesus falava ao povo, uma mulher levantou a voz no meio da multidão e lhe disse: “Feliz o ventre que te trouxe e os seios que te amamentaram”. 28Jesus respondeu: “Muito mais felizes são aqueles que ouvem a Palavra de Deus e a põem em prática”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Pistas para a reflexão

I leitura: O texto relata a transferência da arca da Aliança – sinal da presença de Deus no meio do povo – para a tenda em Jerusalém. Com isso, Davi centraliza o culto em Jerusalém, cidade por ele conquistada e transformada na capital de Israel. Maria é a arca da Nova Aliança, pois carregou em seu ventre o Filho de Deus encarnado.

II leitura: No capítulo 15 da primeira carta aos Coríntios, Paulo fala da ressurreição, que teve Cristo como primícias. Seguindo a Cristo, todos ressuscitaremos, vencendo assim o poder da morte. Nosso ser mortal se revestirá da imortalidade. Maria, terminada sua missão terrena, participa da glória junto a seu Filho.

Evangelho: Diante da declaração da mulher que proclama feliz o ventre que trouxe o Filho de Deus encarnado, Jesus estende a bem-aventurança para além dos laços de sangue, nela incluindo todos aqueles que, a exemplo de Maria, sabem acolher e guardar a Palavra de Deus. Quem vive a Palavra é feliz e um dia participará da glória junto a Maria e seu Filho. Maria pode ser vista como modelo de fé e de compromisso com a Palavra de Jesus.

(Reflexões retiradas da Liturgia Diária)

Fonte: Paulus