Reze
Conosco

Acompanhe a Liturgia Diária e faça seu Pedido de Oração.

Dezembro, 2019

Liturgia
Diária

Dia 24 – TERÇA-FEIRA
4ª SEMANA DO ADVENTO
(roxo, pref. do Advento II ou IIA, pág. ?? – ofício do dia)
Eis que já veio a plenitude dos tempos, em que Deus mandou à terra o seu Filho (Gl 4,4).
Às portas do Natal, celebremos a Eucaristia com muita alegria e expectativa, pois está prestes a chegar o momento em que o Pai nos envia seu Filho, sol nascido do alto.

Primeira Leitura: 2 Samuel 7,1-5.8-12.14.16

Leitura do segundo livro de Samuel – 1Tendo-se o rei Davi instalado já em sua casa e tendo-lhe o Senhor dado a paz, livrando-o de todos os seus inimigos, 2ele disse ao profeta Natã: “Vê, eu resido num palácio de cedro, e a arca de Deus está alojada numa tenda!” 3Natã respondeu ao rei: “Vai e faze tudo o que diz o teu coração, pois o Senhor está contigo”. 4Mas, naquela mesma noite, a palavra do Senhor foi dirigida a Natã nestes termos: 5“Vai dizer ao meu servo Davi: Assim fala o Senhor: ‘Porventura és tu que me construirás uma casa para eu habitar? 8Fui eu que te tirei do pastoreio, do meio das ovelhas, para que fosses o chefe do meu povo, Israel. 9Estive contigo em toda parte por onde andaste e exterminei diante de ti todos os teus inimigos, fazendo o teu nome tão célebre como o dos homens mais famosos da terra. 10Vou preparar um lugar para o meu povo, Israel: eu o implantarei, de modo que possa morar lá sem jamais ser inquietado. Os homens violentos não tornarão a oprimi-lo como outrora, 11no tempo em que eu estabelecia juízes sobre o meu povo, Israel. Concedo-te uma vida tranquila, livrando-te de todos os teus inimigos. E o Senhor te anuncia que te fará uma casa. 12Quando chegar o fim dos teus dias e repousares com teus pais, então suscitarei, depois de ti, um filho teu e confirmarei a sua realeza. 14Eu serei para ele um pai, e ele será para mim um filho. 16Tua casa e teu reino serão estáveis para sempre diante de mim, e teu trono será firme para sempre’”. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 88(89)

Ó Senhor, eu cantarei eternamente o vosso amor!
1. Ó Senhor, eu cantarei eternamente o vosso amor, / de geração em geração eu cantarei vossa verdade! / Porque dissestes: “O amor é garantido para sempre!” / E a vossa lealdade é tão firme como os céus. – R.
2. “Eu firmei uma aliança com meu servo, meu eleito, / e eu fiz um juramento a Davi, meu servidor. / Para sempre, no teu trono, firmarei tua linhagem, / de geração em geração garantirei o teu reinado!” – R.
3. Ele, então, me invocará: “Ó Senhor, vós sois meu Pai, / sois meu Deus, sois meu rochedo onde encontro a salvação!” / Guardarei eternamente para ele a minha graça / e com ele firmarei minha aliança indissolúvel. – R.

Evangelho: Lucas 1,67-79

Aleluia, aleluia, aleluia.
Ó sol da manhã, ó sol de justiça, da eterna luz esplendor: / oh, vinde brilhar para o povo sentado na sombra da morte! – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – Naquele tempo, 67Zacarias, o pai de João, repleto do Espírito Santo, profetizou, dizendo: 68“Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, porque a seu povo visitou e libertou. 69Fez aparecer para nós uma força de salvação na casa de seu servo Davi, 70como tinha prometido desde outrora, pela boca de seus santos profetas, 71para nos salvar dos nossos inimigos e da mão de todos os que nos odeiam. 72Ele usou de misericórdia para com nossos pais, recordando-se de sua santa aliança 73e do juramento que fez a nosso pai Abraão, para conceder-nos 74que, sem temor e libertos das mãos dos inimigos, nós o sirvamos 75com santidade e justiça, em sua presença, todos os nossos dias. 76E tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo, pois irás adiante do Senhor para preparar-lhe os caminhos, 77anunciando ao seu povo a salvação pelo perdão dos seus pecados. 78Graças à misericordiosa compaixão do nosso Deus, o sol que nasce do alto nos visitará, 79para iluminar os que jazem nas trevas e nas sombras da morte e dirigir nossos passos no caminho da paz”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Este hino é uma rica composição inspirada em numerosas passagens bíblicas. Cheio do Espírito Santo, Zacarias proclama que a realidade esperada já está acontecendo. As promessas se cumprem. Com a vinda do Salvador, Deus realiza o que prometeu pela boca de seus santos profetas, último dos quais é João Batista: “E a você, menino, chamarão profeta do Altíssimo, porque irá à frente do Senhor, para lhe preparar os caminhos, anunciando ao seu povo a salvação, o perdão dos pecados”. A salvação que Jesus nos traz liberta-nos de todos os nossos inimigos: o pecado, o egoísmo, a injustiça. Liberta-nos também de todo temor, porque viveremos na presença de Deus, em ambiente de paz, beneficiando-nos do seu misericordioso coração.

(Dia a dia com o Evangelho 2019 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)

 

***

 

MISSA DA NOITE (dia 24)
Alegremo-nos todos no Senhor: hoje nasceu o Salvador do mundo, desceu do céu a verdadeira paz!
Exultemos todos no Senhor, pois nasceu o Salvador, verdadeira paz e felicidade para a humanidade. Na fragilidade de um Menino, Deus vem a nós para nos elevar até ele; fazendo-se humano, quer nos tornar divinos. Celebremos, nesta noite santa, a graça e a salvação que o seu amor zeloso torna realidade em nossa vida.

Primeira Leitura: Isaías 9,1-6

Leitura do livro do profeta Isaías – 1O povo que andava na escuridão viu uma grande luz; para os que habitavam nas sombras da morte, uma luz resplandeceu. 2Fizeste crescer a alegria e aumentaste a felicidade; todos se regozijam em tua presença como alegres ceifeiros na colheita ou como exaltados guerreiros ao dividirem os despojos. 3Pois o jugo que oprimia o povo – a carga sobre os ombros, o orgulho dos fiscais –, tu os abateste como na jornada de Madiã. 4Botas de tropa de assalto, trajes manchados de sangue, tudo será queimado e devorado pelas chamas. 5Porque nasceu para nós um menino, foi-nos dado um filho; ele traz aos ombros a marca da realeza; o nome que lhe foi dado é: Conselheiro admirável, Deus forte, Pai dos tempos futuros, Príncipe da paz. 6Grande será o seu reino, e a paz não há de ter fim sobre o trono de Davi e sobre o seu reinado, que ele irá consolidar e confirmar, em justiça e santidade, a partir de agora e para todo o sempre. O amor zeloso do Senhor dos exércitos há de realizar essas coisas. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 95(96)

Hoje nasceu para nós / o Salvador, que é Cristo, o Senhor.
1. Cantai ao Senhor Deus um canto novo, † cantai ao Senhor Deus, ó terra inteira! / Cantai e bendizei seu santo nome! – R.
2. Dia após dia anunciai sua salvação, † manifestai a sua glória entre as nações / e, entre os povos do universo, seus prodígios! – R.
3. O céu se rejubile e exulte a terra, / aplauda o mar com o que vive em suas águas; / os campos com seus frutos rejubilem, / e exultem as florestas e as matas. – R.
4. Na presença do Senhor, pois ele vem, / porque vem para julgar a terra inteira. / Governará o mundo todo com justiça, / e os povos julgará com lealdade. – R.

Segunda Leitura: Tito 2,11-14

Leitura da carta de são Paulo a Tito – Caríssimo, 11a graça de Deus se manifestou, trazendo salvação para todos os homens. 12Ela nos ensina a abandonar a impiedade e as paixões mundanas e a viver neste mundo com equilíbrio, justiça e piedade, 13aguardando a feliz esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e salvador, Jesus Cristo. 14Ele se entregou por nós para nos resgatar de toda maldade e purificar para si um povo que lhe pertença e que se dedique a praticar o bem. – Palavra do Senhor.

Evangelho: Lucas 2,1-14

Aleluia, aleluia, aleluia.
Eu vos trago a boa-nova de uma grande alegria: / é que hoje vos nasceu o Salvador, Cristo, o Senhor (Lc 2,10s). – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – 1Aconteceu que, naqueles dias, César Augusto publicou um decreto, ordenando o recenseamento de toda a terra. 2Esse primeiro recenseamento foi feito quando Quirino era governador da Síria. 3Todos iam registrar-se, cada um na sua cidade natal. 4Por ser da família e descendência de Davi, José subiu da cidade de Nazaré, na Galileia, até a cidade de Davi, chamada Belém, na Judeia, 5para registrar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida. 6Enquanto estavam em Belém, completaram-se os dias para o parto, 7e Maria deu à luz o seu filho primogênito. Ela o enfaixou e o colocou na manjedoura, pois não havia lugar para eles na hospedaria. 8Naquela região havia pastores que passavam a noite nos campos, tomando conta do seu rebanho. 9Um anjo do Senhor apareceu aos pastores, a glória do Senhor os envolveu em luz, e eles ficaram com muito medo. 10O anjo, porém, disse aos pastores: “Não tenhais medo! Eu vos anuncio uma grande alegria, que o será para todo o povo: 11hoje, na cidade de Davi, nasceu para vós um salvador, que é o Cristo Senhor. 12Isto vos servirá de sinal: encontrareis um recém-nascido envolvido em faixas e deitado numa manjedoura”. 13E, de repente, juntou-se ao anjo uma multidão da coorte celeste. Cantavam louvores a Deus, dizendo: 14“Glória a Deus no mais alto dos céus, e paz na terra aos homens por ele amados”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

O relato do evangelho na missa da noite de Natal inicia com um enquadramento histórico, procura situar no tempo e no espaço o nascimento do Filho de Deus. Não é, porém, um relato histórico, e sim uma leitura teológica da história da salvação. José e Maria, conforme determinação do imperador Augusto, se dirigem a Belém, cidade de Davi e de José, para se registrarem. Enquanto estavam lá, Maria dá à luz seu filho. Jesus não nasce em Jerusalém, cidade do poder e dos poderosos, mas em Belém, aldeia insignificante dos pequenos. Lá é colocado numa manjedoura, pois não havia lugar para ele na casa. Os pastores, pessoas rudes e desprezadas, são os primeiros a receber e acolher a Boa Notícia do Salvador da humanidade. A salvação não vem do poder central (Augusto) e da capital (Roma), mas nasce no meio do povo sofrido e desprezado (pastores) e da aldeia (Belém). Portanto, nesse relato do nascimento de Jesus não tem nada de romantismo. A salvação que vem de Deus, por meio de Jesus, é para todos, mas começa pela periferia, pelos pobres e desprezados. Celebrando o Natal, juntemos nossa voz ao coro celestial e, juntos, cantemos “glória a Deus nas alturas e paz na terra aos que ele ama”.

(Dia a dia com o Evangelho 2019 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)

 

Fonte: Paulus